Monte você mesmo seus contratos
Monte você mesmo seus contratos
 
Segunda-feira, 02 de Julho de 2012

In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player

Powered by RS Web Solutions

Aguarde mais uns dias!

Um site que é "a cara" dos nossos Visitantes e Clientes, tem mesmo de aproveitar, e bem, as críticas e sugestões
que diariamente recebemos!

Daí que nossa Equipe repensou completamente a forma com que nossos Clientes interagem conosco.

Como resultado, uma reformulação geral do nosso site está a caminho,
a qual se integrará ainda mais com nossos Clientes, tornando-se mais útil, além do que a montagem dos nossos Contratos ficará mais profissional!
- e
também muito mais dinâmica!

Aguarde mais alguns dias!

Contrato-demo


Você quer saber como funciona a montagem de um Contrato como o que Você mesmo vai montar?
• Como ficará o resultado?

Pois então vamos fazer uma demonstração, ao vivo!
Monte-Você-Mesmo
um Contrato-demo!
tal como um Contrato real!
Faça login, clique aqui e monte o seu!

Se preferir, veja um Contrato-demo
já pronto!
É só clicar aqui!


...Você Sabia?

...que a parte possivelmente mais "sensível" de um Contrato - mais ainda do que aquela que trata de valor, preço - ...é a que dispõe sobre a "forma de pagamento": como os valores serão pagos por uma Parte à outra?
   Por isso, especifique ao máximo o como, quando, em que montantes e sob que condições os valores contratuais deverão ser pagos.

Matérias mais acessadas

Artigos
Jurisprudência
Notícias

No Linkedin!


A participação das "redes sociais" é um fator de integração nesta grande "aldeia global"!

Pois agora Você pode-nos seguir também no Linkedin:

Vá à parte de baixo desta coluna, e escolha entre o Facebook, o Twitter e o Linkedin!

Então, nós nos encontraremos (também) lá!

Usuários online

Nós temos 208 Visitantes online

Translate our site!

English Arabic Chinese (Simplified) French German Italian Portuguese Russian Spanish

Últimas Matérias

Testemunhos

O site está ficando muito bom, mas ainda faltam muitas montagens de Contratos!

Evandro Oliveira
Sep 05, 2010

Siga-nos no

Facebook Twitter Linkedin

RSS: o que é isso?

RSS é atualmente a forma mais moderna e dinâmica de comunica- ção com seus Clientes.
Receba notícias e informações sem ter de receber e-mail, e portanto sem o risco de virem "SPAM's", nem vírus!

Clique aqui, e saiba mais!

 

Você sabe o que é um ''Contrato''?

Pelo Art. 104 do novo Código Civil, um Contrato é um "negócio jurídico" que, para ser "válido", deve ser
• celebrado entre Pessoas "capazes" juridicamente: sejam Pessoas "Físicas" (na sua plena "capacidade civil", ou "assistidas" ou "representadas") sejam Pessoas "Jurídicas" registradas e inscritas nos Órgãos fiscalizadores próprios,
• objetivando um negócio lícito, legal, e possível de ser realizado, e
• seguindo as formalidades legais (a venda de um Apartamento, por exemplo, não pode ser feita por Instrumento particular, mas tem, obrigatoriamente, de ser feita por escritura pública).
IMPORTANTE: se Você, ou sua Empresa, contratar com uma Empresa sabidamente irregular, nem poderá pedir a anulação do Contrato - e, se ele vier a ser anulado, nem Você nem sua Empresa sequer poderão pedir indenização (Código Civil, Art. 150)!

A aplicação prática, disso? Você verá, quando for montar-Você- -mesmo o seu próprio Contrato, com a assessoria da Contratos online.
No mundo prático, um Contrato é um "acordo de vontades" onde quem "dita as regras" (observadas, claro, as normas legais, vistas na aba anterior) é quem está na "melhor" posição:
• o Vendedor, ou Prestador do serviço, quando há poucos Concorrentes para aquele determinado produto ou serviço, ou quando há muitos Clientes (se este é o seu caso, saiba ser equilibrado, na redação do seu Contrato, para ele não ser tachado de "abusivo", e ser derrubado pelos PROCON's ou pela Justiça); ou
• o Cliente, quando há excesso de Vendedores/Prestadores de serviço similares (se este, porém, é que é o seu caso, seja bem preciso, minucioso, no detalhamento das obrigações contratadas com o Vendedor ou Prestador do serviço, a fim de facilitar a caracterização dos eventuais descumprimentos, e sua consequente correção na Justiça);
• e mais: não importa de que lado do Contrato Você esteja: não se esqueça de que "um Contrato é bom, quando é bom para ambas as Partes". Concentre seus esforços, pois, na especificação do "objeto" do Contrato — e, claro, do melhor "preço" (e modo de reajuste!)

A estrutura básica de um Contrato é — toda ela — importante:
a qualificação das Partes — importante, por exemplo, o regime de casamento do Fiador, como será detalhado mais adiante;
o objeto — é fundamental que esteja minuciosamente detalhado, para evitar divergências nas dúvidas sobre o que-ou-como deveria ser construído o bem, ou executado o serviço;
o prazo — igualmente importante que esteja bem detalhado, dadas suas óbvias implicações sobre o preço, sobre a época e os índices de reajuste, sobre a mobilização de pessoal que o executará, etc.;
o preço (e reajuste) — atenção na escolha do Índice de reajuste, para que seja preservado o "ganho", a chamada "economia do Contrato" — examine bem os gráficos comparativos da evolução dos principais Índices econômicos nos últimos 24 meses;
as responsabilidades (complementada com cláusula sobre "penalidades" pelo seu descumprimento): é o "fecho" que completará a eficácia jurídica das normas contratuais — embora deva prever também casos de "força-maior", ou mesmo de tolerância no seu descumprimento; e, em contraponto,
as garantias de que o que foi acordado, e contratado, será cumprido. Por ambas as Partes!

Por tudo isso, na hora em que Você estiver então montando o seu Contrato, tenha absoluta certeza das respostas às perguntas que o próprio sistema lhe fará (conforme o caso):
não "ache" que saiba, pois, se os inúmeros bens - que Você "acha" que o Fiador tem - pertencerem, isto sim, à sua Mulher com quem se casou pelo regime da separação total de bens, isto significará que, em caso de o Inquilino (por exemplo) não pagar, o Fiador poderá não ter como pagar... - o que quer dizer: o Credor poderá nada receber!...
e não deixe, por isso, de ler as orientações, informações e avisos ao longo da montagem do Contrato: eles chamarão a sua atenção, na época própria, para assuntos importantes, como o que acabamos de ver!...
Feito isso, preencha todas as informações necessárias — mas não se esqueça de conferi-las, todas, antes de dar seu "OK" final, e clicar em "Concluir"!

EXCLUSIVO! — uma vez concluída a montagem do seu Contrato, uma cópia dele permanecerá, permanentemente, à sua disposição! Assim, onde quer que Você esteja, bastará fazer "login" e acessar nosso "Banco de Contratos", e consultá-lo, ou mesmo "baixá"-lo para o computador que estiver à sua frente!

Mãos à obra!

Você precisa de um Contrato diferente - feito "sob medida"?


O seu caso é diferente dos demais que temos à disposição, para Você montar?
— pois então
vamos montar, juntos, o seu Contrato sob medida!
Por mais "diferente" que seja a situação específica do acerto profissional, comercial ou pessoal que Você já tiver combinado com a outra Parte, em detalhes ou não, ela deve ser regulamentada em um Contrato: no qual os seus interesses ficarão bem resguardados perante a Lei.

 

Ninguém melhor que Você, porém, sabe do que Você necessita!
O preço dos nossos serviços, específicos para o seu Contrato sob medida,
é, basicamente, de R$ 200,00 (duzentos reais) — dependendo da extensão e/ou da complexidade dos nossos serviços, conforme as opções que lhe apresentaremos.

Faça login, clique aqui e vamos montá-lo!

 

"Biblioteca" de Contratos


Fique "ligado" em tudo que interessa a Contratos!


Operações de crédito iguais ou superiores a R$ 1 mil já são também monitoradas pelo Banco Central

Antes disso, os Bancos tinham a obrigação de informar somente os empréstimos iguais ou superiores a R$ 5 mil - devido ao aumento do tráfego dos Bancos, o BC reduziu a tarifa que lhes é cobrada para manter essas informações de crédito
Valor Econômico (www.valoronline.com.br), em 21/06/2012

 
Tempo de espera em fila de Banco e direito a indenização

Marcos Antonio Maciel Saraiva
Revista Jus Navigandi (www.jus.com.br), em 07/05/2012

 
Data-limite para pagamento do salário é a da CLT - e não, a de Acordo Coletivo

Acordo que fixa pagamento de salários no dia 10 é considerado inválido pelo TST
Notícias do TST (www.tst.gov.br), em 21/06/2012

 
STJ analisará empréstimo de bens por Empresas

STJ deve definir se as Empresas podem aproveitar créditos do ICMS sobre ativos cedidos por meio do chamado "Contrato de comodato"
Fenacon Notícias (www.fenacon.org.br), em 01/06/2012

 
Empresas prestadoras de serviços educacionais devem contribuir para o SESC / SENAC

STJ, Primeira Seção - REsp 1.255.433-SE, Rel. Min. Mauro Campbell Marques
julgado em 23/05/2012 - Informativo STJ 498, 01/06/2012

 
Lei traz vantagens aos Motoristas e desvantagens ao Empresário e Consumidor

Schmidt, Mazará, Dell, Candello & Paes de Barros Advogados
Contratos online (www.contratosonline.com.br), em 22/06/2012

 
Os abusos da penhora on-line

Marcos Paulo Passoni
Fenacon Notícias (www.fenacon.org.br), em 06/06/2012

 
Condutas anticoncorrenciais e a Lei do CADE

Vicente Bagnoli e Leonor Cordovil
Fenacon Notícias (www.fenacon.org.br), em 30/05/2012

 
Velocidade da internet oferecida pelo PNBL está defasada, admite Telebrás

Governo estuda medidas para aumentar velocidade da internet popular, mas, para Presidente da Empresa, a  maior barreira ao plano de banda larga popular ainda é o alto custo do kit de equipamentos de instalação da internet
Estadão online (www.estadao.com.br), em 20/06/2012
Agência Brasil (www.agenciabrasil.gov.br), em 20/06/2012

 
Município de São Paulo quer cobrar ISS na fonte

Ideia é ficar com a diferença entre a alíquota mínima do ISS e a que a Empresa realmente paga de ISS em sua Cidade-sede, de forma a aumentar a arrecadação da capital e desestimular o êxodo de Empresas para Municípios vizinhos
Fenacon Notícias (www.fenacon.org.br), em 14/06/2012

 
MP tem legitimidade para propor Ação Civil Pública para proteção de direitos transindividuais

STJ, Terceira Turma - REsp 1.099.634-RJ, Rel. Min. Nancy Andrighi
julgado em 08/05/2012 - Informativo STJ 497, 18/05/2012

 
A falência sumária na nova legislação

Jorge Lobo
Fenacon Notícias (www.fenacon.org.br), em 21/06/2012

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 10 de 1527
 
Desenvolvido por AIT - Advice Internet Technologies
e MMConsultoria e Desenvolvimento WEB